quarta-feira, 17 de abril de 2019

Verdade é bom e faz bem à saúde!



Não bastassem as polêmicas e notícias negativas, que sacrificam nossa população, fomos surpreendidos com a proliferação avassaladora de uma mentira nas redes sociais. A virulência da informação falsa colocou as pessoas em pânico! Dizia o artigo terrorista que a água tratada fornecida em uma de cada quatro cidades brasileiras estava contaminada com 27 tipos de agrotóxicos. Incluía Mogi das Cruzes e Região do Alto Tietê entre os municípios abastecidos com veneno pelo Semae e Sabesp. Louvamos o imediato desmentido oficial da autarquia municipal e da companhia estadual, tanto nos canais digitais quanto na Imprensa. Ambas, atestaram a qualidade da água fornecida e comprovaram a improcedência do falso alarde: http://www.mogidascruzes.sp.gov.br/noticia/agua-distribuida-a-populacao-de-mogi-das-cruzes-e-livre-de-contaminacao-e-segue-legislacao-federal

Contudo, é impossível dimensionar os estragos feitos pela disseminação da informação mentirosa. Em especial, porque focou num tema caro à sociedade: a saúde e a consequente preservação da vida, por meio da água e da alimentação consumidas.
Com um robusto histórico de líder rural e agente político, conheço bem os inúmeros episódios que abalaram a opinião pública e acarretaram graves consequências, principalmente ao setor produtivo de alimentos. Pinço o episódio da suposta água contaminada de cólera em 1990. De lá para cá, com incrível frequência, a população e o produtor rural são vítimas de notícias sobre verduras, legumes e frutas contaminados com agrotóxicos. Quase a totalidade delas impulsionada por interesses politiqueiros e sem compromisso com a verdade.
Sofro suspeição por ser produtor rural, mas com total segurança, informo a classe consumidora que os produtos hortifrutigranjeiros passam por rigoroso controle de toxicidade com a finalidade de garantir a segurança alimentar. São mecanismos oficiais contínuos dos governos federal e paulista, por meio de programas de Análise de Resíduos de Agrotóxicos em Alimentos. No Estado de São Paulo, o monitoramento ocorre via Defesa Agropecuária da Secretaria Estadual de Agricultura e Abastecimento e do Ceagesp.
Ainda sob a garantia da fiscalização empreendida, destaco a excelência da qualidade das verduras, legumes, tubérculos, bulbos e frutas produzidos em Mogi das Cruzes e municípios vizinhos. O Alto Tietê é o maior cinturão verde do Brasil, graças à alta competência, tecnologia e responsabilidade dos produtores rurais que, indubitavelmente, cultivam alimentos para a vida saudável. Não por menos, Mogi é referencial brasileiro em tecnologia na horticultura. #MaisRespeito #VerdadeFazBemÀSaúde

                                       Junji Abe, produtor e líder rural, é ex-prefeito de Mogi das Cruzes, na Grande São Paulo 

sexta-feira, 4 de janeiro de 2019

Fé, trabalho e vigília


Às vésperas de deixar a Câmara dos Deputados, orgulho-me de defender convicções pétreas, dignificando compromissos assumidos com a população que me elegeu. Estreei na Casa em 2011. Terminei o mandato em janeiro de 2015 e retornei, em fevereiro último. Fizemos vingar avanços exponenciais, como a obrigatoriedade do tempo integral nas escolas. Esportes, cultura e outras ações importantes para a formação pessoal do aluno, que também fica longe da ociosidade das ruas, onde campeiam violência e as drogas. 
Apresentei mais de 60 projetos com objetivos de melhorar saúde e saneamento básico, combater a violência, preservar meio ambiente, e baratear tarifas de telefonia e energia elétrica, entre outros. Quase todos resultam de contribuições da sociedade. Por esse trabalho, despontei como o 3º mais atuante congressista do Estado e o 13º do Brasil no “Ranking do Progresso”, da Revista Veja, em 2013.
Galguei os degraus da vida pública, tendo como premissa a sinergia com a população, minha principal consultora desde sempre. Tudo o que fiz e faço tem como origem e finalidade o bem-estar do ser humano. Da barriga da mãe à velhice. Ingressei na política como vereador, em 1973, com a maior votação da história de Mogi das Cruzes – 13% do colégio eleitoral. Exerci três mandatos na Assembleia Legislativa de São Paulo.
Por oito anos seguidos, de 2001 a 2008, governei Mogi. Além de programas de altíssimo teor social,  criamos na saúde a rede de prós – clínicas especializadas para mulher (Pró-Mulher), criança (Pró-Criança) e idoso (Pró-Hiper), além do Programa de Medicamentos Gratuitos (Promeg). Na educação, saímos dos aterradores acampamentos de mães, por vagas nas escolas, para uma rede escolar moderna, dotada de bibliotecas multimídia, espaços esportivos, merenda de qualidade e atendimento universalizado, que alicerçou o período integral oferecido a mais da metade dos alunos do sistema municipal. 
Os avanços foram lastreados pela nossa Política de Desenvolvimento, que abriu 115 mil empregos diretos e indiretos. Deixei a Prefeitura com pesquisas apontando 86% de aprovação popular e fazendo Mogi despontar entre as cidades mais dinâmicas do País e uma das melhores do Estado para morar.
Enquanto deputado, intermediamos repasses federais e estaduais a centenas de municípios paulistas, contemplando saúde, segurança, educação, saneamento, agronegócio, etc. Igualmente, viabilizamos recursos para os principais eventos socioculturais e esportivos.     
Idealizamos e implantamos a Pró-Horti, compondo importante braço político na busca de soluções para as cadeias produtivas de hortaliças, frutas, champignon, mel, aves e ovos, pecuária de leite, flores, plantas e outros itens de mercado interno. Uma das nossas cruzadas rendeu o convênio (21/2015) que convencemos o Conselho Nacional de Política Fazendária a elaborar para que estados possam livrar do ICMS os hortifrútis frescos minimamente processados. É o caso da alface, selecionada, lavada e colocada em saquinho plástico, que o comprador paga bem mais caro por causa do imposto. São Paulo passou a conceder isenção tributária em dezembro.
Felicitando os parlamentares eleitos e reeleitos, rogo a Deus que a diversidade de ideias permaneça como mola propulsora dos avanços tão necessários ao País!  E que a tolerância e o diálogo fermentem de harmonia a construção de cada passo. Façamos do novo tempo que se descortina o palco de fé, trabalho e vigília!
Feliz 2019! 

Junji Abe, produtor e líder rural, é deputado federal pelo MDB-SP e ex-prefeito de Mogi das Cruzes, na Grande São Paulo